Dúvidas frequentes sobre alternadores

Considerando as inúmeras consultas que tenho recebido sobre o sistema de carga resolvi fazer um resumo para esclarecer o assunto.

1 – Se usarmos um regulador de tensão de um alternador de maior ou menor amperagem altera a sua capacidade de corrente, ou seja, aumenta ou diminui a sua geração.

Errado. O regulador do alternador não influi na corrente, somente regula a tensão. Aplicam-se diferentes tipos de reguladores em função do consumo de corrente do rotor, dos picos de tensão que devem suportar, do tipo de proteção contra sujeiras, do tipo de escova, conexão, etc.

2 – O alternador carrega a bateria e esta alimenta os componentes elétricos do veículo.

Errado. O alternador alimenta todos os componentes elétricos do veículo e inclusive carrega a bateria caso haja condições favoráveis.

3 – Quanto maior a potência de consumidores maior deve ser a capacidade da bateria.

Errado. A capacidade da bateria é relacionada diretamente com a potencia do motor de partida, isto é, quanto maior a corrente do motor de partida maior deverá ser a capacidade de corrente fornecida pela bateria nesta condição.

4 - Se uma bateria nova está descarregando é necessário aumentar a sua capacidade.

Errado. Veja também o item 3. As causas freqüentes de descarga da bateria são: fuga de corrente excessiva, uso prolongado de acessórios elétricos com o motor do carro parado, excesso de consumo ou falta de potência do alternador, defeitos elétricos em geral.

5 – O regulador de tensão do alternador regula a amperagem (corrente) produzida pelo alternador.

Errado. A corrente produzida pelo alternador depende do dimensionamento do estator/rotor e da velocidade do alternador.

6 – O alternador também serve para carregar a bateria.

Certo. Porém é necessário que a tensão regulada se mantenha aproximadamente 2 V acima da tensão nominal da bateria para que haja fluxo de corrente de carga. Se tivéssemos a tensão do alternador regulada de 12,3 V este poderia alimentar todos os consumidores, entretanto não carregaria a bateria.

7 – Diminuir o diâmetro da polia do alternador aumenta sua capacidade de geração (corrente).

Somente há aumento de capacidade geradora na faixa de rotação mais baixa do motor, porém o alternador é autolimitador de corrente e nunca ultrapassará sua capacidade de geração ou a corrente máxima indicada na placa.
É importante ressaltar que este recurso não deve ser empregado, pois o excesso de rotação danifica os rolamentos, mancais, correias e aumenta os ruídos do alternador.

8 – Quando instalamos componentes elétricos além do previsto como: lâmpadas mais potentes, amplificador de som, ar condicionado, entre outros, é necessário aumentar a capacidade da bateria.

Errado. Veja itens 2 e 3. Ao aumentar o consumo é necessário aumentar a potência do alternador.

Links relacionados:

9 comentários:

Felippi Eletricidade Automotiva Ltda. disse...

Boa tarde!
estou a procura de manual ou algum curso expecifico sobre alternadores e motor de partida porem da linha pesada,atuo na parte eletrica mas não consertava-mos estes itens mas devido a procura pretendo oferecer mais este sv ao cliente.se tiver algo podemos negociar.Grato!
p.felippi@hotmail.com

Cristiano gomes disse...

Amigo estou com um problema chato. Oque me aconteceu foi o seguinte: tirei meu painel para trocar as lampadas queimadas,mas só que andei um dia inteiro com o carro sem o painel,a bateria nova esgotou sua carga. depois que eu descobri que não pode andar sem o painel por causa da lampada piloto da bateria que na verdade exita o alternador a carregar na lenta e pura ai vai. só que agora eu troquei praticamente o interior do alternador inteiro e quando coloco ele no lugar e funciono o carro a lampada piloto apaga normal, porem o alternador esquenta a ponto de fritar um ovo! e depois a lampada piloto volta a acender no painel. é um alternador de 55ap, de um corsa basico sem nada de mas. troquei a placa retificadora de corrente e coloquei uma idêntica só que e de 65ap da wolks, e voltou a esquentar muito a ponto de queimar a mão. me ajude por favor! estou ficando estressado com isso rsrs abraço.

Aparecido Oliveira disse...

Cristiano, repare o alternador com peças originais. A sobrecarga pode ter ocorrido devido ao regulador de tensão com defeito, use um multímetro para verificar a tensão de carga. A bateria deve estar carregada para ser colocada no veículo. Se houvesse outro tipo de sobrecarga afetaria também a bateria.

Johanne Coelho disse...

Bom dia Aparecido. Tenho um alternador cinap de 75 amperes para o fusca. Não estou encontrando o regulador de voltagem e a placa retificadora para esse modelo de 75 amperes. Só encontro para o modelo de 55 amp. Tem algum problema colocar o regulador de 55amp no de 75 amp? E quanto a placa retificadora, tem algum problema também? Muito obrigado!

Aparecido Oliveira disse...

Johanne, o regulador de tensão pode ser usado sem problemas. Quanto ao retificador não sei dizer se os diodos são da mesma capacidade, é possível que sim, infelizmente não tenho como checar isto. Se correr o risco o que pode acontecer é ter baixa durabilidade.

Anônimo disse...

"O alternador alimenta todos os componentes elétricos do veículo e inclusive carrega a bateria caso haja condições favoráveis.". nesse caso, por que todos os componentes do veículo (inclusive o sistema de ignição) funcionam mais fracos quando a bateria está com pouca carga? se a premissa inicial fosse válida, o conjunto de motor e alternador não seria auto-suficiente, podendo-se teoricamente inclusive eliminar a bateria do sistema uma vez que o motor estivesse ligado? imagino que para isso seria necessário um capacitor, para manter a tensão de saída do alternador constante, certo? esse capacitor existe? ou seria a inexistência dele (e o decorrente emprego da bateria na função desse hipotético capacitor) a causa da tensão prejudicada no sistema inteiro no caso da bateria descarregada? desculpe o tamanho da pergunta, desde já agradeço a resposta!

Aparecido Oliveira disse...

Anônimo, a bateria tem como função principal alimentar os módulos necessários para colocar o carro em funcionamento, é a fonte de corrente para pré-excitar o alternador para que ele comece a gerar e sobretudo acionar o motor de partida. Após funcionar o motor realmente o alternador seria auto-suficiente e poderia sim usar um capacitor como comenta, aliás existe uma aplicação assim em caminhões frigoríficos para manter a carga refrigerada. Entretanto em um sistema que necessita altas correntes para acionar o motor de partida a bateria deve estar preparada para a próxima partida. É necessário repor a carga consumida na partida anterior e durante o seu uso com o motor parado. Além disso a bateria serve para amortecer os picos de tensão gerados pelo próprio alternador e outras cargas indutivas e ajuda na regulagem da tensão, e em caso de pane no alternador está permanentemente conectada para suprir o sistema sem que haja parada do motor (imagine ficar sem energia de repente em uma pista, e em alta velocidade). Assim podemos afirmar que a bateria dará a estabilidade necessária ao sistema de carga sem ter que recorrer a um capacitor gigantesco e caro que não armazenaria carga por longo período como se consegue com a bateria que no fundo já se faz necessário para acionar o motor de partida, função esta imprópria para o capacitor. Obviamente a geração do alternador depende da rotação do veículo e da carga a que está submetida e aí novamente surge a necessidade da bateria como fonte auxiliar para manter o veículo caso o alternador não tem a capacidade de suprir a carga por curto lapsos de tempo. Quando você afirma que o sistema é afetado pela pouca carga da bateria, na verdade descreve um caso típico de defeito no sistema devido ao desequilíbrio entre a capacidade geradora e o consumo ou operação com bateria com descarga profunda. Numa situação normal acontece flutuação de tensão do alternador ao ligar cargas mais intensas e claro podem ser reparadas no comportamento dos componentes instalados, por exemplo: se percebe a variação la iluminação do farol ao ligar os eletroventiladores e também enquanto a bateria não recupere a carga a tensão operacional do alternador se manterá mais baixa. Lembre-se a bateria deve mais de 70% de carga para ser instalada no veículo caso contrário causará o tal desequilíbrio.

Anônimo disse...

primeiramente, parabéns pela qualidade de conteúdo, tanto do blog num todo quanto nas respostas. agora, ao objeto: pretendo usar meu carro para suprir em campo um carregador de baterias de aeromodelos, para isso o alternador deve ser capaz de gerar aproximadamente 600 watts em marcha lenta (porém mais que isso seria melhor, uns 1500W seria o ótimo). se meu sistema de carregamento de baterias consumisse mais que o "superávit" energético do carro, a bateria aos poucos seria drenada, situação altamente problemática por numerosas razões. então achei que a maneira mais prática de garantir que isso não acontecesse seria, uma vez que o motor estivesse funcionando, desconectar os contatos da bateria e manter a ignição só com a energia do próprio alternador, de modo que, se o meu consumo de energia excedesse a capacidade do alternador, o motor do carro apagaria mas a carga da minha bateria permaneceria preservada. você acha que isso funcionaria? o motor efetivamente continuaria funcionando caso eu desconectasse a bateria, ou para isso seriam necessárias modificações? além disso, será que o alternador será capaz de suprir tudo isso na lenta? e em caso contrário, quanta potência aproximadamente seria realista esperar do alternador? o carro é um gol de aproximadamente 100hp.

Aparecido Oliveira disse...

Colega não funcionaria adequadamente da forma como está pensando, pois o alternador depende da rotação e além disso todo pico de carga, que acontece constantemente, é absorvido pela bateria como por exemplo: ligação dos eletroventiladores, bomba do ABS, etc. O sistema está projetado para manter a bateria em "stand by" tanto quanto possível, e para funcionar satisfatóriamente deve ser carregada para mínimo de 70% da carga quando para uso no carro, assim o alternador estaria mais tempo disponível para suprir o consumo do veículo. Para o alternador suprir a carga instalada, esta não deve ultrapassar a 80% da capacidade indicada na placa deste se for um do tipo compacto (mais moderno), nos sistemas antigos este limite é de 65%. Com este raciocínio um alternador moderno de 140 Amperes poderia suportar os 1500 W (107 amperes) que menciona em marcha lenta. Infelismente não é tão fácil de encontrar alternador com mum potência de alternador maior. Atualmente para atender o consumo mais elevado se toma medidas para desligar temporariamente cargas menos importantes em períodos de pouca demanda do alternador (A GM chanma este conceito de modo eco) e também a redução do consumo através do controle mais eficiente e componentes de baixo consumo.